Economia

IPCA-15 registra inflação de 0,40% em dezembro, a menor taxa no mês em 5 anos

Caso de mantenha nos próximos dias, País fechará o ano dentro da meta de inflação perseguida pelo Banco Central

Apoie Siga-nos no

A inflação medida pelo IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15) acelerou 0,40% em dezembro, após marcar 0,33% em novembro. Os dados foram divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), nesta quinta-feira 28. 

A nova taxa é a menor para o último mês do ano desde 2018, quando registrou -0,16%. 

Com o resultado, no ano, o IPCA-15 fechou 2023 com alta acumulada de 4,72%, a menor variação nos últimos três anos. O índice marcou alta de 10,42% em 2021 e 5,90% em 2022. 

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) serve para fornecer uma projeção da inflação para o mês, conhecida como IPCA.

O principal grupo da economia que apresentou alta nos preços foi o transporte. 

Dentro do grupo, o subitem passagem aérea subiu 9,02% no mês, tendo o maior impacto individual do índice em dezembro. 

O grupo da alimentação também registrou alta, no entanto, os preços dos alimentos costumam subir na parte final do ano, impactados pela demanda típica do período. 

Além disso, as ondas de calor que atingiram o País ao longo do ano colaboraram para a elevação dos preços. 

O resultado aponta uma inflação abaixo do teto da meta estipulada para 2023 pelo Banco Central. 

Apesar disso, o índice veio acima do esperado pelo mercado financeiro, que previa um avanço de 4,58% para o ano. 

Ainda assim, caso a taxa se mantenha nos últimos dias do ano, o Banco Central considerará a meta cumprida. 

Para o ano, o índice previsto é de 3,25%, com tolerância de 1,5 ponto percentual para mais (4,75%) ou para menos (1,75%).

Nos anos anteriores, em 2021 e 2022, o País estourou a meta inflacionária prevista. 

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo