Economia

Governadores vão ao Senado para discutir com Pacheco a reforma tributária

No centro do debate está um dos pontos-chave da reforma, já aprovada pela Câmara e sob análise da Casa Alta

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco. Foto: Sergio Lima/AFP
Apoie Siga-nos no

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), confirmou nesta segunda-feira 28 que receberá os 27 governadores para discutir a reforma tributária. A reunião está marcada para esta terça-feira 29.

Os debates devem ser divididos por regiões, em agendas reservadas com Pacheco. “Vamos nos reunir com governadores para verificar se o proposto fere ou não a autonomia fiscal dos estados”, afirmou o senador, durante evento empresarial em São Paulo.

No centro da discussão está um dos pontos-chave da reforma. Os contrários à unificação dos impostos argumentam que a PEC tende a retirar autonomia de estados e municípios com a criação do Conselho Federativo do Imposto sobre Bens e Serviços, para regulamentar a lei.

Segundo o economista da Unesp Cláudio Paiva, o colegiado deve “ser uma instituição de disputas e tensões nas relações federativas”.

No entanto, conforme uma simulação da reforma apresentada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada nesta segunda-feira 28, quase 85% dos municípios brasileiros ampliarão sua participação na arrecadação de impostos com a mudança constitucional. 

Na proposta em tramitação no Senado, institui-se a cobrança do imposto no destino, ou seja, mercadoria e serviço serão tributados no local do consumo, em vez da origem, como ocorre atualmente.

“Ratifico minha posição de que uma lógica comum para tributos é de interesse dos entes federados, até para o combate à sonegação fiscal”, sustenta Pacheco. “Tenho muita confiança de que temos toda a condição de fazer, porque diversos outros países aplicam e não é algo que o Brasil esteja originalmente apresentando.”

ENTENDA MAIS SOBRE: ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.