Auxílio emergencial de R$ 600 é prorrogado por mais duas parcelas

Governo federal fez anúncio no Palácio do Planalto

 Foto: Leonardo Sá/Agência Senado

Foto: Leonardo Sá/Agência Senado

Economia

O governo federal anunciou mais duas parcelas do auxílio emergencial de 600 reais, voltado para trabalhadores informais, autônomos e desempregados. O benefício foi criado após pressão do Congresso Nacional para que houvesse assistência financeira aos mais vulneráveis na crise do novo coronavírus.

Desde que foi criado, o programa foi alvo de uma série de críticas. No início, o governo queria ceder apenas 200 reais mensais, mas a oposição pressionou pelo aumento do valor. Depois, houve atrasos nos pagamentos e nas análises das inscrições. Conforme mostrou CartaCapital, parcela dos solicitantes virou mês aguardando o benefício.

Ao mesmo tempo, milhares de pessoas receberam o auxílio emergencial sem ter direito. 

 

O benefício foi criado para ter três parcelas, mas o governo agora prorroga para mais dois meses. A decisão foi anunciada em cerimônia no Palácio do Planalto, pelo presidente Jair Bolsonaro.

“Nós esperamos que ao final dela [da última parcela], a economia já esteja reagindo, para que nós voltemos à normalidade o mais rapidamente possível. Obviamente, sempre tomando cuidado com o bem maior de todos nós, que é a nossa vida”, disse Bolsonaro.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem