Economia

Agência reguladora dos EUA acusa Musk de fraude na Bolsa

Comissão norte-americana de Títulos e Câmbio denuncia CEO da Tesla por anúncio de supostos planos de fechar capital da empresa

Musk
Musk
Apoie Siga-nos no

A Comissão de Títulos e Câmbio dos Estados Unidos acusou o fundador e presidente-executivo da Tesla, Elon Musk, de fraude por anunciar em mensagem na sua conta do Twitter, em agosto, que planejava fechar o capital da empresa.

A denúncia foi apresentada num tribunal de Nova York.

A SEC, órgão equivalente à Comissão de Valores Mobiliários no Brasil, afirmou que Musk se comportou de forma “temerária”, que sua mensagem na rede social era “falsa e enganosa”, e que com esta ação prejudicou os investidores da Tesla.

Leia também:
FMI: garantia de estabilidade ou receita para o fracasso?
É viável usar as reservas internacionais?

As acusações ocorrem menos de dois meses depois de Musk anunciar na rede social que pensa em fechar o capital da Tesla em 420 dólares por ação. “Financiamento garantido”, destacou. A postagem fez a cotação das ações da companhia disparar quase 11% na Bolsa de Nova York.

Semanas após anunciar o fechamento de capital, Musk voltou atrás e disse que o melhor caminho para a Tesla era continuar na Bolsa de Valores.

A SEC afirmou que Musk sabia que não satisfez outras contingências ao declarar que apenas o voto dos acionistas seria necessário para fechar o capital da empresa. Com a acusação, o empresário pode ser punido com uma multa. Depois deste anúncio, as ações da empresa caíram 5,7%.

Em comunicado, Musk rejeitou as acusações. “Essa ação injustificada da SEC me deixa profundamente triste e desapontado. Sempre tomei medidas para a verdade e transparência. A integridade é o valor mais importante da minha vida e os fatos vão mostrar que nunca comprometi isso”, ressaltou.

A companhia baseada no Vale do Silício vive um momento decisivo em seus oito anos de história como empresa de capital aberto, já que a concorrência com montadoras europeias deve se intensificar com o lançamento de novos modelos elétricos da Audi e da Jaguar. Mais rivais devem chegar ao mercado no ano que vem.

Sob pressão para aumentar a produção do sedan Model 3, a Tesla anunciou planos de construir uma fábrica em Xangai, na China, e outra na Europa, mas detalhes ainda não foram revelados, e não se sabe quem financiaria os projetos.

Fechar o capital é uma forma de evitar uma análise minuciosa por parte do mercado nesse momento desafiador. Musk tem trocado farpas publicamente com reguladores, críticos, revendedores e repórteres, e alguns analistas sugerem que menos transparência seria bem-vinda para o executivo.

DW_logo

 

Carta Capital

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.