Economia

A avaliação do trabalho de Fernando Haddad no comando da Economia, segundo pesquisa

O ministro da Fazenda tem avaliações parecidas entre eleitores de Lula e Bolsonaro na última eleição

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad. Foto: Lula Marques/Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

O ministro da Fazenda Fernando Haddad, principal responsável pelo comando da Economia neste terceiro governo Lula, é avaliado positivamente por 34%, segundo dados da nova pesquisa do instituto PoderData, divulgada nesta sexta-feira 30. O volume é um salto de 10 pontos percentuais desde o último levantamento, divulgado em abril.

O índice, importante citar, é aferido apenas entre aqueles que dizem conhecer o ministro – 83% dos entrevistados pela pesquisa. Nessa mesma parcela da população, o trabalho de Haddad no comando da Economia é considerado regular por 31%. O índice é exatamente o mesmo da pesquisa anterior.

Já o grupo que no último levantamento do instituto não sabia avaliar a atuação do ministro da Fazenda caiu de 23% para 13%. É nesta parcela que está, segundo o instituto, a explicação para a movimentação positiva nos índices de Haddad, já que a avaliação negativa se manteve nos mesmos 22%.

Bolsonaristas também aprovam o ministro

O índice de aprovação de Haddad é bastante semelhante quando levado em conta a segmentação de votos na eleição passada. Na pesquisa desta sexta-feira é possível ver que Haddad tem aprovação de 36% entre aqueles que votaram em Lula e 33% entre os eleitores de Jair Bolsonaro. Os índices de regular são de 29% e 30%, respectivamente. Já aqueles que marcam avaliação negativa ao ministro da Fazenda são 22% entre os eleitores do atual presidente e 21% entre os que votaram no ex-capitão.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.