Cultura

Morre aos 69 anos bell hooks, expoente do pensamento feminista negro

Autora de mais de 40 livros, a intelectual, ativista ficou conhecida por expor as relações íntimas entre o racismo e os papéis de gênero

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Faleceu nesta quarta-feira 15, aos 69 anos, a escritora, professora e intelectual expoente do pensamento feminista negro, bell hooks. A morte foi confirmada por sua sobrinha, Ebony Motley, mas não teve ainda a causa divulgada.

Ao longo de sua carreira, hooks escreveu mais de 40 livros. É celebrada por obras que são consideradas pilares no pensamento feminista negro, como E eu não sou uma mulher?: Mulheres negras e feminismo, publicado ainda 1981.

A escritora ficou conhecida por expor as relações íntimas entre o racismo e os papéis de gênero na sociedade. Mais recentemente, dava aulas na universidade Berea College, no Kentucky, sua terra natal. Antes, estudou em escolas segregadas entre negros e brancos nos EUA, cursou faculdade em Stanford, mestrado Wisconsin e doutorado em literatura na Califórnia.

hooks ainda integrou o hall da fama dos escritores do Kentucky e tem um instituto em Barea que leva seu nome. Seus livros foram publicados em mais de 15 idiomas diferentes. Segundo o comunicado da sobrinha, ela estava doente e faleceu rodeada de familiares e amigos.

bell hooks foi o nome que Gloria Jean Watkins adotou em homenagem  sua bisavó. Foi sempre grafado com letras minúsculas, a pedido dela, para enfatizar o conteúdo dos seus escritos e não sua autoria.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!