Cultura

“O universo da cultura no Brasil está destruído”, diz Wagner Moura

Em Nova York, o diretor de ‘Marighella’ disse que a Ancine está destruída e criticou o governo de Jair Bolsonaro

Moura, seu Jorge e o elenco de 'Marighella' no Festival de Berlim (Foto: Tobias SCHWARZ / AFP)
Moura, seu Jorge e o elenco de 'Marighella' no Festival de Berlim (Foto: Tobias SCHWARZ / AFP)

O ator e diretor Wagner Moura esteve presente no lançamento de seu filme Marighella em um dos auditórios da Universidade de Columbia, em Nova York. O evento, que aconteceu neste domingo 08, teve discurso de Moura antes da exibição da obra.

“Eu não gosto de falar do ‘Marighella’ como um caso isolado. Todo o universo da cultura, no Brasil, está basicamente destruído. A Ancine está destruída. Acabada. Game over. E esse é o jeito que eles fazem hoje: a censura não é como a da ditadura militar, que dizia ‘isso é proibido'”, disse.

 

O filme, que conta a história do guerrilheiro comunista Carlos Marighella, enfrenta uma resistência burocrática na Ancine  e, por isso, ainda não foi lançada no Brasil.

“Hoje eles infiltram pessoas nessas agências, e elas tornam tudo impossível de acontecer. Foi isso que fizeram com ‘Marighella’. Eles acharam uma forma de tornar o lançamento impossível do ponto de vista burocrático. Mas nós iremos achar um jeito”, afirmou.

“Marighella” estreou em fevereiro no Festival de Berlim e, no último final de semana, foi transmitido em duas sessões em Nova York: na Universidade de Columbia (7) e no Cinema Village.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!