Cultura

assine e leia

O que amar quer dizer?

Em duas obras lançadas agora no Brasil, Mathieu Lindon relembra dois amigos mortos em decorrência da Aids: Michel Foucault e Hervé Guibert

Espelhos. O escritor e crítico literário francês estabelece elos entre sua vida e a produção desses autores – Imagem: Martin Bureau/AFP
Apoie Siga-nos no

Em seus dois livros recentemente lançados no Brasil, O Que Amar Quer Dizer e Hervelino, o escritor e crítico literário francês Mathieu Lindon combina variados registros textuais – o ensaio, a autobiografia, a ficção – para relembrar dois amigos seus, falecidos décadas atrás em decorrência da Aids: Michel Foucault e Hervé Guibert, autores de obras marcantes como História da Sexualidade e Ao Amigo Que Não Me Salvou a Vida, respectivamente.

As obras foram publicadas com uma distância de dez anos: o livro sobre Foucault, O Que Amar Quer Dizer, é de 2011; o livro sobre Guibert, Hervelino, de 2021. Ambos estão marcados pela tentativa de Lindon – muito bem-sucedida, por sinal – de mostrar os elos entre sua própria vida e a produção criativa dos dois amigos. “A celebridade e a reputação de Michel certamente têm um impacto em meu afeto por ele”, escreve Lindon no primeiro livro, e continua: “Mas qual? Eu o amo de verdade”.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

10s