Cultura

O corpo como um lugar de disputas

Em Benedetta, o cineasta Paul Verhoeven lança mão de códigos do ‘Nunsploitation’ para abordar temas centrais da sociedade contemporânea

O furor sexual das freiras toca no nervo dos moralistas
O furor sexual das freiras toca no nervo dos moralistas

Criar polêmica para engordar a bilheteria é um recurso que Paul Verhoeven explora desde antes da fatídica cruzada de pernas de Sharon ­Stone em Atração Fatal.

Benedetta (em cartaz desde a quinta-feira 13) parece, em princípio, mais um filme dentro dessa fórmula de provocação. A história de uma freira condenada por sacrilégio e obscenidade, ambientada na Itália do século XVI e baseada em fatos, oferece material sob medida para o diretor holandês.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!