Cultura

assine e leia

A vida escrita ante a vida vivida

Por meio das palavras clandestinas de uma dona de casa na Itália do pós-guerra, Alba de Céspedes se detém sobre a psique feminina e sobre a ambivalência entre os impulsos mais íntimos e o cotidiano possível

Alba de Céspedes (1911-1997) foi escritora, poeta e roteirista de cinema, rádio e TV - Imagem: Arnoldo Mondadori/Easypix
Alba de Céspedes (1911-1997) foi escritora, poeta e roteirista de cinema, rádio e TV - Imagem: Arnoldo Mondadori/Easypix
Apoie Siga-nos no

Em 1958, quando Caderno Proibido (1952), ganhou uma edição em inglês, o New York Times escreveu que Alba de Céspedes era uma das raras autoras, desde Colette, a captar, de forma profunda, o que significa ser uma mulher. O livro foi traduzido para o português em 1962, mas há muito seu rastro se perdera.

É, provavelmente, na esteira da boa acolhida das conterrâneas Elena ­Ferrante e Natália Ginzburg que a Companhia das Letras traz de volta ao mercado essa que é considerada a obra mais madura dessa autora nascida em Roma, em 1911.

Ana Paula Sousa

Ana Paula Sousa
Editora de Cultura da edição impressa de CartaCapital. Doutora em Sociologia pela Unicamp.

Tags: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.