CartaExpressa,Política

YouTube removeu 33 vídeos do canal de Bolsonaro desde abril e presidente pode perder canal

YouTube removeu 33 vídeos do canal de Bolsonaro desde abril e presidente pode perder canal

A plataforma passou determinar a retirada de conteúdos que envolvam teorias conspiratórias e desinformação sobre a vacina

O presidente Jair Bolsonaro, durante live semanal na internet. Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro, durante live semanal na internet. Foto: Reprodução

O Youtube já removeu 33 vídeos do canal oficial do presidente Jair Bolsonaro desde abril. O último foi uma live em que o ex-capitão associou a vacinação contra a Covid-19 à transmissão da Aids.

As exclusões foram baseadas na atualização das políticas da plataforma do Google para proibir a recomendação de medicamentos sem eficácia contra a Covid-19, como a hidroxicloroquina e a ivermectina. 

Em setembro, o Youtube passou determinar a retirada de conteúdos que envolvam teorias conspiratórias e desinformação sobre a vacina. 

Nesta segunda-feira 25, a plataforma também suspendeu o canal do presidente por uma semana. Bolsonaro está a duas suspensões de perder o controle da conta. Caso incida na disseminação de conteúdo desinformativo, ele poderá ser suspenso por mais duas semanas, e caso haja uma terceira infração no prazo de 90 dias a conta será encerrada. 

“As nossas diretrizes estão de acordo com a orientação das autoridades de saúde locais e globais, e atualizamos as nossas políticas à medida que a orientação muda. Aplicamos as nossas políticas de forma consistente em toda a plataforma, independentemente de quem for o criador ou qual a sua opinião política”,disse o Youtube em nota.

Apesar da remoção, as lives do presidente contendo desinformação continuam disponíveis no Facebook e em outras redes de hospedagem de conteúdo e de envio de mensagem, como o WhatsApp e o Telegram. 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem