CartaExpressa

Youtube apaga vídeo de Bolsonaro e mais 21 com mentiras sobre eleições

Limpeza faz parte da ação da empresa para se adaptar às novas regras sobre disseminação de desinformação

Foto: EVARISTO SA / AFP
Foto: EVARISTO SA / AFP
Apoie Siga-nos no

O Youtube apagou 22 vídeos que continham desinformações e mentiras sobre as urnas eletrônicas e o sistema eleitoral brasileiro, incluindo uma publicação no canal do presidente Jair Bolsonaro (PL). A informação foi divulgada pelo jornal O Globo nesta quinta-feira 9, com base em um monitoramento da consultoria Novelo Data. Em nota, a empresa alegou que a limpeza foi motivada pelas novas regras da plataforma, que vem sendo aplicadas desde março deste ano.

Com a exclusão confirmada nesta quinta-feira, já somam 45 vídeos excluídos pela plataforma. Canais bolsonaristas são os mais afetados. O jornal estima que, com algumas das publicações que saíram do ar, parte dos canais já haviam lucrado até 1 milhão de reais em monetização. O valor foi estimado pela consultoria com base no número de visualizações.

Ainda segundo o monitoramento, mais de 1.900 vídeos com mentiras sobre as urnas ainda estão no ar. A limpeza, também de acordo com a consultoria, é a maior já realizada desde a criação das regras que preveem punição para canais que espalham desinformações sobre o tema. Além do questionamento das eleições brasileiras, estão previstas exclusões em caso de infundadas alegações de fraudes no pleito dos Estados Unidos e da Alemanha.

Em nota, o Youtube diz que a exclusão foi motivada pela nova regra da empresa, que prevê, desde março deste ano, a derrubada de conteúdo “postado após a certificação dos resultados oficiais para promover alegações falsas de que fraudes, erros ou problemas técnicos generalizados mudaram o resultado de eleições nacionais anteriores.”

No texto, a empresa acrescenta ainda que conta com uma equipe de checagem e reforça que qualquer usuário pode denunciar os vídeos que contenham desinformação. A empresa diz ainda que tem elaborado políticas e sistemas “para reduzir a disseminação de informações enganosas.”

Com o vídeo excluído pela nova limpeza de conteúdos mentirosos na plataforma, as punições na rede a Bolsonaro chegam a sua 36ª vez. Como destaca o jornal, a plataforma prevê banimento em casos de reincidência. Apesar do volume elevado de punições, o canal do atual presidente segue no ar.

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.