CartaExpressa

Temer: ‘Não dá mais pra aguentar essa história de toda hora ter impeachment’

Em entrevista ao site Metrópoles, o ex-presidente ainda negou que tenha participado ativamente da deposição de Dilma Rousseff

(Foto: Isac Nobrega/PR) (Foto: Isac Nobrega/PR)
(Foto: Isac Nobrega/PR) (Foto: Isac Nobrega/PR)
Apoie Siga-nos no

O ex-presidente da República, Michel Temer (MDB), se posicionou contra o impeachment do presidente Jair Bolsonaro, e citou que o uso do dispositivo não é bom para o País. “Nós já tivemos dois impeachments e ainda se fala nele“, disse em referência ao afastamento da ex-presidenta Dilma Rousseff, em 2016, e ao impeachment de Collor, em 1992.

“Não dá mais pra aguentar essa história de toda hora ter impeachment, a nossa Constituição é adolescente, está fazendo 33 anos daqui a pouco. Já tivemos dois impeachments e ainda se fala nele. Veja quanto tempo gastamos falando do impeachment do atual presidente. E se não sei quem for eleito ali adiante, também logo vai começar uma campanha pelo impeachment.  Não dá mais pra viver num país que só pensa nisso”, disse, em entrevista ao site Metrópoles.

Temer ainda negou que tenha participado do processo de impeachment de Dilma. “Quando começou o processo de impedimento da ex-presidente, como o vice é sempre suspeito, eu vim para São paulo. Eu fiquei aqui no meu escritório um tempão. Agora, realmente, nos últimos oito dias, quando se ia julgar a procedência ou improcedência da acusação na Câmara dos Deputados, alguns deputados e senadores me falaram que eu precisava voltar para Brasília, aí eu voltei. Mas eu não tive em nenhum momento participação na ideia, de que eu sou o autor do impedimento”, disse.

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.