CartaExpressa,Política

TCU desmente Pazuello: nenhum hacker ‘adulterou’ o aplicativo TrateCov

TCU desmente Pazuello: nenhum hacker ‘adulterou’ o aplicativo TrateCov

O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello. Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado

O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello. Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado

Uma análise conduzida por auditores do Tribunal de Contas da União concluiu que o aplicativo TrateCov não foi adulterado por um hacker, como alegou o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello durante depoimento à CPI da Covid.

Segundo o general, o aplicativo, criticado por sugerir remédios comprovadamente ineficazes contra o novo coronavírus para quase todos os sintomas relatados, teria sido “hackeado por um cidadão”.

“Tem uma investigação que chega nesse cidadão, ele foi descoberto, pegou o diagnóstico, alterou dados e colocou na rede pública”, disse o militar à CPI. A pedido da comissão, o TCU investigou o programa e concluiu que não houve adulteração e que “a indicação pelo usuário do TrateCov de quaisquer dois sintomas é suficiente para a aplicação web exibir o diagnóstico” de Covid-19. Os detalhes da apuração foram divulgados neste sábado 31 pelo jornalista Chico Alves, do UOL.

Em depoimento à CPI em maio, a secretária de Gestão do Trabalho do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, já havia desmentido a alegação de ‘hackeamento‘. Ela, no entanto, acusou um jornalista de ter feito uma “extração indevida de dados” com a consequência de “trazer um prejuízo às pessoas que poderiam ser beneficiadas”.

 

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem