CartaExpressa

Risco de genocídio indígena no Brasil é citado em reunião da ONU

Situação é inédita para o País. Denúncias em outras esferas internacionais também miram na atuação de Bolsonaro contra povos tradicionais

Terra Indígena Yanomami. Foto: Wikimedia Commons
Terra Indígena Yanomami. Foto: Wikimedia Commons
Apoie Siga-nos no

Pela primeira vez, o Brasil foi citado como um caso de preocupação em relação ao genocídio de povos indígenas no Conselho de Direitos Humanos da ONU na segunda-feira 28.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, a conselheira especial para a prevenção ao genocídio Alice Wairimu Nderitu afirmou estar “particularmente preocupada” com a situação dos povos indígenas brasileiros. O Equador também chegou a ser nomeado como mais um caso preocupante nas Américas.

“Peço aos governos que protejam as comunidades em risco e garantam a responsabilização pelos crimes cometidos”, afirmou a conselheira na reunião, que também contou com a participação do grupo brasileiro Conselho Indigenista Missionário (CIMI).

A situação dos povos indígenas no Brasil não é objeto de análise apenas da ONU. Em dezembro de 2020, também em situação inédita, o Tribunal Penal Internacional de Haia começou a analisar o mérito de uma denúncia protocolada em 2019 por organizações que denunciavam um projeto de genocídio contra indígenas durante o governo Bolsonaro, em especial pelo discurso permissivo em relação a invasores e garimpeiros.

Essa fase é precedente a uma possível abertura oficial de inquérito. Agora, a Corte irá analisar se os crimes denunciados pelas organizações se enquadram na jurisdição do TPI. Segundo o informe, a Procuradoria deseja analisar os fatos “o mais rápido possível”.

A possibilidade do governo ser julgado por genocídio chegou a ser aventada até pelo ex-premiê israelense Benjamin Netanyahu, antigo aliado de Bolsonaro no cenário global.

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.