CartaExpressa

PSDB passou a votar mais alinhado com Bolsonaro na Câmara após se declarar oposição

As orientações do líder da bancada, Rodrigo de Castro (MG), passaram a coincidir mais com a orientação do Palácio do Planalto

O deputado federal Aécio Neves (PSDB). Foto: Evaristo Sá/AFP
O deputado federal Aécio Neves (PSDB). Foto: Evaristo Sá/AFP

A bancada do PSDB na Câmara dos Deputados passou a votar mais alinhada ao governo do presidente Jair Bolsonaro desde que o partido anunciou, no dia 8 de setembro, que faria oposição à gestão federal. O levantamento é do Estadão.

De acordo com a publicação, as orientações do líder da bancada, Rodrigo de Castro (MG), também passaram a coincidir mais com a orientação do Palácio do Planalto do que antes da decisão tomada pelo presidente do PSDB, Bruno Araújo.

No mês anterior ao dia 8 de setembro, quando o PSDB se identificava como “independente”, a Câmara realizou 70 votações nominais nas quais o líder do governo, Ricardo Barros (Progressistas-PR), fez uma orientação de “sim” ou “não” – a favor ou contra o projeto em pauta. Nessas votações, o líder do PSDB, Rodrigo de Castro (MG), indicou que sua bancada votasse da mesma forma que Barros em 53 vezes, ou 75,7% do total.

No mês seguinte à ida do partido para a oposição, as sugestões de Castro coincidiram com as do governo em 34 vezes — ou 87% das ocasiões.

Na maioria das vezes, os parlamentares não são obrigados a seguir a orientação do líder, mas as indicações de Castro resultaram num aumento do “governismo” dos deputados do PSDB.

(Com informações da Agência Estado)

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!