CartaExpressa

Presidente da Anvisa: vacina de uso emergencial não será para milhões

‘Em hipótese alguma’, disse Antônio Barra Torres nesta quinta-feira 3

Antônio Barra Torres. Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado
Antônio Barra Torres. Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado

O diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antônio Barra Torres, disse nesta quinta-feira 3 que, “em hipótese alguma”, milhões de brasileiros terão acesso a vacinas contra a Covid-19 aprovadas para uso emergencial.

“Importante a população entender que uso emergencial não é uma vacinação em massa, de grande número de pessoas. É um processo de vacinação bastante restrito, com grupos bem definidos, que tenham a concordância em estar se vacinando dessa forma, tenham consentimento livre. Ou seja, não é uma vacinação para a população como um todo. Geralmente se escolhem profissionais de saúde, idosos, cuidadores de idosos”, disse Barra Torres em entrevista à Rádio Gaúcha.

Na quarta-feira 2, a Anvisa disponibilizou um guia no qual apresenta os requisitos para solicitações de uso emergencial. “Serão considerados dados de estudos não clínicos e clínicos, de qualidade, boas práticas de fabricação, estratégias de monitoramento e controle, resultados provisórios de ensaios clínicos, entre outras evidências científicas. Além disso, a empresa deve apresentar informações que comprovem que a fabricação e a estabilidade são adequadas para garantir a qualidade da vacina”, informou a agência.

CartaCapital

CartaCapital

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!