CartaExpressa

PGR é contra incluir a depredação bolsonarista no DF em inquéritos no STF

O órgão recorreu de uma decisão do ministro Alexandre de Moraes

Foto: Evaristo Sá/AFP
Apoie Siga-nos no

A Procuradoria-Geral da República recorreu da decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, de incluir a violência bolsonarista da última segunda-feira 12 em Brasília em inquéritos que já tramitam na Corte.

Moraes se manifestou na última quarta 14 no âmbito de um pedido apresentado pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).  Segundo o magistrado, os registros de depredação na capital federal “ocorreram no contexto dos atos antidemocráticos” de pessoas insatisfeitas com o resultado da eleição e que agiram com “violência e grave ameaça às pessoas”.

A PGR sustentou, porém, não ver relação entre a ação violenta da última segunda e outras investigações em curso, sobre atos antidemocráticos e milícias digitais.

Na peça, revelada nesta sexta 16 pela TV Globo, o órgão argumenta que a conduta dos bolsonaristas de Brasília já está sob análise em outros procedimentos e que as informações prestadas por Randolfe “apenas narraram o teor de matérias jornalísticas, sem inovar ou trazer consigo quaisquer elementos que possam contribuir para a elucidação dos fatos”.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.