CartaExpressa

Paulistês: Governo Tarcísio apaga post após apoiadores confundirem hashtag com linguagem neutra

As postagens excluídas fazem parte da campanha ‘São Paulo são todos’

O governador Tarcísio de Freitas (Republicanos). Foto: Mauro Pimentel/AFP
Apoie Siga-nos no

O governo de Tarcísio de Freitas (Republicanos) decidiu recuar e apagar postagens nas redes sociais que usavam a hashtag “paulistês”, após bolsonaristas criticarem o suposto uso de linguagem neutra.

Utilizado pela comunicação da gestão, o termo fazia referência ao modo de falar dos paulistas.

A polêmica em torno da palavra se deu pela ausência do acento circunflexo na escrita da tag (#paulistes). Seguidores radicais do ex-ministro de Jair Bolsonaro acusaram o governo de recorrer à linguagem neutra, ou seja, a uma adaptação da linguagem para promover a inclusão de pessoas que não se identificam com um dos gêneros.

As postagens excluídas fazem parte da campanha “São Paulo são todos”. Em nota, a assessoria de comunicação informou que o conteúdo foi retirado porque “houve uma leitura equivocada da mensagem pela ausência do sinal gráfico na legenda”.

Este é o post apagado.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar