CartaExpressa

Oposição tenta levar chanceler ao Senado para comentar declaração de Lula sobre ataques a Gaza

O requerimento, encabeçado por Carlos Viana (Podemos-MG), alega haver o risco de ‘uma grave crise diplomática’

O presidente Lula e m viagem à Etiópia, em 17 de fevereiro de 2024. Foto: Ricardo Stuckert/Presidência do Brasil/AFP
Apoie Siga-nos no

O senador Carlos Viana (Podemos-MG) protocolou nesta segunda-feira 19 um requerimento para convidar o chanceler Mauro Vieira a uma audiência na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional. O objetivo seria ouvir o ministro sobre as declarações do presidente Lula (PT) a respeito dos ataques israelenses contra a Faixa de Gaza.

O pedido, endossado pelo senador Luis Carlos Heinze (PP-RS), alega haver o risco de “uma grave crise diplomática”.

“Dessa forma, o chanceler esclarecerá qual o posicionamento do governo brasileiro e as ações diplomáticas a serem tomadas em momento de fragilidade entre os países”, completa o documento. Ainda não há uma data definida para a votação do requerimento.

No domingo 18, durante passagem por Adis Adeba, na Etiópia, Lula afirmou: “É importante lembrar que em 2010 o Brasil foi o primeiro país a reconhecer o Estado palestino. É preciso parar de ser pequeno quando a gente tem que ser grande. O que está acontecendo na Faixa de Gaza e com o povo palestino não existiu em nenhum outro momento histórico. Aliás, existiu quando Hitler resolveu matar os judeus”.

Nesta segunda, o governo de Israel declarou Lula “persona non grata“. Em reação, o petista resolveu chamar de volta para consultas o embaixador do Brasil em Tel Aviv, Frederico Meyer. Mauro Vieira também convocou para uma reunião no Rio de Janeiro o embaixador israelense Daniel Zonshine.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.