CartaExpressa

Nise Yamaguchi diz que depoimento de Barra Torres ‘não representa a realidade’

A médica é defensora da cloroquina e foi citada pelo presidente da Anvisa como articuladora de uma mudança da bula do medicamento

A médica Nise Yamaguchi. Foto: Michel Jesus/Câmara dos Deputados
A médica Nise Yamaguchi. Foto: Michel Jesus/Câmara dos Deputados

Citada na CPI da Covid-19 como articuladora de uma alegada tentativa de alterar a bula da cloroquina, a oncologista Nise Yamaguchi afirmou que a declaração do presidente da Anvisa, Antônio Barra Torres “não representa a verdade”.

O presidente da Anvisa disse à CPI que sua reação à sugestão de alterar a bula da cloroquina foi “imediata” no sentido de que “aquilo não podia acontecer”. Ele não indicou o responsável pela ideia, mas apontou a ‘mobilização’ de Yamaguchi.

“Esse documento foi comentado pela doutora Nise Yamaguchi, o que provocou uma reação até um pouco deseducada ou deselegante minha”, relembrou. “Quando houve uma proposta de uma pessoa física de fazer isso, me causou uma reação mais brusca. A reunião não durou mais depois disso.”

 

Defensora da cloroquina e cotada para assumir o Ministério da Saúde, ela disse (em nota e sem citar o medicamento) que “já existem evidências científicas comprovadas para o uso de medicações que possam auxiliar no combate às fases iniciais da COVID-19”.

Ela também afirma que, caso fosse convocada à depor na CPI, prestaria esclarecimentos aos senadores.

Nise Yamaguchi já é alvo de três requerimentos de convocação. Os três foram apresentados pelos governistas Ciro Nogueira (PP), Jorginho Mello (PL) e Marcos Rogério (DEM).

A intenção era ouvi-la sobre as benesses da cloroquina. Mas ela deve agora ser confrontada com as afirmações de Barra Torres

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!