CartaExpressa

MP pede ao TCU o cancelamento de contratos do governo com empresa de Elon Musk

Sub-procurador pediu ainda que o TCU analise uma possível proibição do X, antigo Twitter, do território nacional

Elon Musk. Foto: Odd ANDERSEN / AFP
Apoie Siga-nos no

O Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União pediu que a Corte suspensa todos os possíveis contratos da empresa Starlink, de Elon Musk, com o governo federal.

O documento, assinado pelo subprocurador-geral Lucas Rocha Furtado, foi enviado à presidência do TCU nesta quarta-feira 10.

No texto, Furtado cita os ataques de Elon Musk ao Supremo Tribunal Federal e suas declarações questionando as decisões judiciais brasileiras.

“Recentemente, [Elon Musk] afrontou a soberania do Estado Brasileiro, ao afirmar que não se submeteria às ordens judiciais emanadas do Supremo Tribunal Federal, em clara violação ao Estado de Direito”, disse.

Na representação, Furtado ventila a possibilidade da empresa de Elon Musk possuir contratos com o Exército e a Marinha, com Cortes de Justiça e outros órgãos municipais.

Caso esses contratos sejam confirmados, o MP de Contas pede que o TCU determine sua imediata extinção.

Além disso, o sub-procurador pediu que o TCU analise uma possível proibição do X, antigo Twitter, do território nacional “haja vista seus usuários a utilizarem como meio de ataque à democracia brasileira”, finaliza o documento.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar