CartaExpressa

Ministro do Turismo repete fake news que ligam Bolsonaro a recuo de tropas russas

Gilson Machado também declarou que ‘o russo tem vontade de conhecer Pirenópolis’

Foto: Alan Santos/PR
Apoie Siga-nos no

O ministro do Turismo, Gilson Machado, repetiu a insinuação de que a viagem do presidente Jair Bolsonaro a Moscou teria alguma relação com a suposta retirada de parte das tropas russas da fronteira com a Ucrânia.

“O Brasil é um país historicamente conciliador. Sempre tivemos grandes exemplos de grandes diplomacias por outros presidentes, de problemas mundiais que conseguimos resolver. E foi um momento em que o presidente chegou lá e levou uma mensagem de paz para o presidente Putin. Graças a Deus, já foram retiradas as tropas e não se fala mais em guerra”, disse Machado em entrevista coletiva.

“Se fala, sim, em evolução do mercado, evolução da vocação econômica que o Brasil tem de exportação econômica de produtos alimentícios para a Rússia, também. E brevemente também teremos turismo. Porque o russo tem vontade de conhecer a praia, tem vontade de vir pro Nordeste, tem vontade de conhecer Pirenópolis, tem vontade de conhecer a Chapada. E vamos mostrar isso para o mundo todo”, completou.

Na quarta-feira 16, ainda em Moscou, Bolsonaro declarou a jornalistas: “Mantivemos a nossa agenda e, coincidência ou não, parte das tropas deixou as fronteiras. Ao que tudo indica, a grande sinalização é que o caminho para a solução pacífica se apresenta no momento para Rússia e Ucrânia”.

O anúncio de recuo de tropas russas veio na madrugada de quarta, pelo horário de Brasília. O governo Putin comunicou o fim de manobras militares e, por consequência, a retirada de parte de seu contingente da península da Crimeia, onde a presença de soldados alimentou os temores de uma invasão.

Os Estados Unidos e outros membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte, a Otan, porém, contestam os comunicados do governo russo. “Diga claramente. Diga claramente para o mundo. Mostre enviando suas tropas, seus tanques, seus aviões, de volta aos seus quartéis e hangares, e enviando seus diplomatas para a mesa de negociações”, disse à imprensa nesta quinta o secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.