CartaExpressa,Política

Ministério da Saúde promoveu só uma postagem sobre vacina da Covid

Ministério da Saúde promoveu só uma postagem sobre vacina da Covid

No auge da pandemia, a pasta só pagou por uma única campanha para que mais pessoas fossem alcançadas com informações sobre a vacina

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Um levantamento divulgado nesta segunda-feira 2 mostra que o Ministério da Saúde promoveu apenas uma publicação no Twitter sobre a vacinação contra a Covid-19 desde fevereiro de 2020. Os dados são da agência de checagem Fiquem Sabendo, com base na Lei de Acesso à Informação (LAI).

Isso significa que, no auge da pandemia, a pasta só pagou por uma única campanha para que mais pessoas fossem alcançadas com informações sobre a vacina contra o coronavírus.

Segundo o levantamento, a pasta fez mais de 4.800 publicações no período, mas só pagou para promover 85 delas desde o início da pandemia no Brasil. Dessas campanhas, 34 falavam sobre vacinação, mas apenas uma tratava do imunizante da Covid-19. Todas as demais são sobre doenças mais comuns, como gripe, sarampo, poliomielite e febre amarela.

Confira a única publicação sobre vacinação da Covid promovida pelo Ministério da Saúde feita em 16 de março de 2021:

No mesmo período, o Ministério da Saúde ainda promoveu dois tweets sobre o chamado tratamento precoce. As duas publicações foram feitas no mesmo dia, 18 de novembro de 2020, e com diferença de um minuto. Nas postagens, a pasta faz menções ao ‘atendimento precoce’ e ‘tratamento precoce’, em referência ao uso de medicamentos ineficazes no combate ao coronavírus.

Os medicamentos do kit também aparecem com certa frequência nas publicações da pasta. Ao todo, segundo o levantamento, foram 62 tweets com menções a cloroquina e o tratamento precoce feitos pelo Ministério da Saúde desde fevereiro.

Ainda de acordo com a análise da agência, nos mais de 4 mil tweets, os termos ‘Covid’, ‘pandemia’ e ‘coronavírus’ não estão entre os mais usados pelo Ministério nesse intervalo.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem