CartaExpressa

Manuela sinaliza que não concorrerá em 2022: ‘Não são os mandatos que me fizeram militante’

A ex-deputada federal aparecia como uma potencial candidata competitiva ao Senado pelo Rio Grande do Sul

A jornalista, escritora, ex-deputada federal e liderança do PCdoB Manuela D'Ávila. Foto: Reprodução/Facebook
A jornalista, escritora, ex-deputada federal e liderança do PCdoB Manuela D'Ávila. Foto: Reprodução/Facebook
Apoie Siga-nos no

A ex-deputada federal Manuela D’Avila (PCdoB) indicou neste sábado 28 que não concorrerá nas eleições deste ano. Em 2018, ela ocupou a vice na chapa presidencial encabeçada por Fernando Haddad (PT) e em 2020 chegou ao segundo turno da disputa pela Prefeitura de Porto Alegre (RS).

“Há dois anos tenho dito que não tenho pretensão de concorrer a nenhum cargo eletivo em 2022”, escreveu Manuela nas redes sociais. “Não desisti de nenhuma disputa, portanto, pelo simples fato de que nunca afirmei que estaria nela.”

Na mensagem, ela diz reconhecer a importância das eleições deste ano e a expectativa para que concorresse. Ao mencionar os pleitos de 2018 e 2020, reforçou “como esses processos foram duros e violentos” para ela e familiares.

Manuela também afirma ter trabalhado para unificar um palanque progressista para a disputa no Rio Grande do Sul, mas a ideia “não se materializou”. Ressaltou, ainda, ser “militante política muito antes de ter mandato”.

“Não são os mandatos que me fizeram militante: são nossas causas, nossos sonhos de justiça e liberdade.”

Há equilíbrio na corrida ao Senado pelo Rio Grande do Sul, de acordo com levantamento do Paraná Pesquisas divulgado em 23 de maio.

No principal cenário, o vice-presidente Hamilton Mourão (Republicanos) soma 22,7% das intenções de voto, Manuela tem 20,5% e a ex-senadora Ana Amélia (PSD) aparece com 20,4%.

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.