CartaExpressa

Maioria do STF rejeita fixar prazo para Lira analisar impeachment de Bolsonaro

O mandado de segurança, de autoria de Rui Falcão (PT-SP) e Fernando Haddad, já havia sido negado pela relatora, Cármen Lúcia

O deputado Arthur Lira, ao lado do presidente Jair Bolsonaro. Foto: Reprodução/Redes Sociais Foto: Reprodução redes sociais
O deputado Arthur Lira, ao lado do presidente Jair Bolsonaro. Foto: Reprodução/Redes Sociais Foto: Reprodução redes sociais
Apoie Siga-nos no

O Supremo Tribunal Federal formou maioria nesta sexta-feira 20 para negar um pedido da oposição que estabeleceria um prazo para o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), analisar os pedidos de impeachment do presidente Jair Bolsonaro (PL).

O mandado de segurança, de autoria do deputado federal Rui Falcão (PT-SP) e do pré-candidato petista ao governo de São Paulo, Fernando Haddad, já havia sido negado pela relatora, Cármen Lúcia.

Seguiram Cármen os ministros Alexandre de Moraes, Ricardo Lewandowski , Dias Toffoli, Luís Roberto Barroso, Edson Fachin, André Mendonça e Gilmar Mendes. O julgamento ocorre em plenário virtual, sistema eletrônico que dispensa sessões presenciais.

Falcão e Haddad protocolaram o mandado de segurança no STF dias depois de partidos, lideranças sociais e movimentos sociais apresentarem um “superpedido de impeachment, em junho de 2021.

A peça listava 23 crimes de responsabilidade cometidos por Bolsonaro e contava com o suporte da Associação Brasileira de Juristas pela Democracia.

Mais de 100 pedidos para impedir Bolsonaro estão na gaveta de Arthur Lira.

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.