CartaExpressa

Justiça autoriza a quebra de sigilo telefônico do autor de ataque a escola em SP

O pedido foi feito pela Polícia Civil, que busca esclarecer se o garoto contou com o apoio de outras pessoas para executar o ataque

Créditos: Reprodução
Apoie Siga-nos no

A Justiça de São Paulo autorizou a quebra dos sigilos telefônico e telemático do adolescente de 13 anos autor do ataque na Escola Estadual Thomazia Montoro, na capital paulista, na segunda-feira 27.

O pedido foi apresentado pela Polícia Civil, que busca esclarecer se o garoto contou com o apoio de outras pessoas para executar o ataque. Dois garotos são suspeitos de participação indireta no caso. Um deles teria incentivado o atentado nas redes sociais.

O outro suspeito foi flagrado em vídeo conversando em frente ao banheiro da escola com o agressor momentos antes da ação. Em seguida, ele sai do banheiro e o autor do ataque aparece com uma máscara de caveira.

Os dois suspeitos já foram ouvidos pela Polícia Civil, mas negaram envolvimento. A corporação ouvirá novas testemunhas nos próximos dias, entre elas a diretora de outra escola em que o agressor estudou e a professora Ana Célia da Rosa, uma das vítimas do ataque. Ela passou por cirurgia após o atentado e teve alta nesta terça-feira 28.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar