CartaExpressa

Justiça arquiva processa contra Felipe Neto por ‘corrupção de menores’

Justiça arquiva processa contra Felipe Neto por ‘corrupção de menores’

YouTuber era acusado de cometer crimes de ato obsceno por divulgar suposto material impróprio para crianças e adolescentes em seu canal

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

A Justiça do Rio de Janeiro arquivou na quarta-feira 2 o processo contra o empresário e youtuber Felipe Neto por corrupção de menores. A juíza Daniella Alvarez Prado, da 35ª Vara Criminal, acatou a recomendação do MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro).

O processo foi instaurado pelo delegado Pablo Sartori, da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática, o mesmo que, a pedido do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), intimou Neto por chamar o presidente Jair Bolsonaro de “genocida”

Na investigação de corrupção de menores, Neto era acusado de cometer crimes de ato obsceno por divulgar suposto material impróprio para crianças e adolescentes em seu canal no YouTube, sem limitar a faixa etária dos conteúdos exibidos.

O empresário seria enquadrado no Artigo 244-B do Estatuto da Criança e do Adolescente, que condena a até quatro anos de prisão quem “corromper ou facilitar a corrupção de menor de 18 anos, com ele praticando infração penal ou induzindo-o a praticá-la.

Quando o inquérito foi instaurado, o youtuber argumentou que as denúncias eram “caluniosas” e “feitas pela articulação do ódio bolsonarista”. Em dezembro de 2020, o empresário chegou a assinar um Termo de Ajustamento de Conduta com o MP-RJ e se comprometeu a trabalhar o tema da classificação etária em seu canal.

Em suas redes sociais, Neto comemorou a decisão. “Mais um capítulo da campanha de ódio contra mim foi encerrado hoje”.

 

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem