CartaExpressa,Política

Justiça arquiva investigação contra Lula por tráfico de influências a favor da OAS

Justiça arquiva investigação contra Lula por tráfico de influências a favor da OAS

Já são 19 ações instauradas contra o ex-presidente relacionados com a operação Lava Jato que foram arquivadas

O ex-presidente Lula. Foto: Ricardo Stuckert

O ex-presidente Lula. Foto: Ricardo Stuckert

A Justiça paulista determinou o arquivamento da investigação contra o ex-presidente Lula que apurava acusações de tráfico de influência internacional para favorecer a empreiteira OAS. A informação foi antecipada pela jornalista Bela Megale, de O Globo.

A investigação derivou da delação premiada do ex-presidente da empreiteira, Léo Pinheiro. O empresário havia dito em seu acordo que Lula teria sido contratado pela OAS para realizar uma palestra na Costa Rica a fim de influenciar os dirigentes daquele país a fazer negócios com a construtora.

Na decisão, a juíza federal Maria Carolina Ayoub, da 9ª. Vara Federal de São Paulo, entendeu não haver elementos mínimos para dar continuidade à ação e que os crimes imputados já teriam prescritos. 

A defesa do ex-presidente alegou que a versão do delator não foi confirmada por nenhum outro envolvido ouvido pela Polícia Federal.

O próprio Léo Pinheiro, em momento posterior, negou o pagamento de vantagens indevidas ao ex-presidente. 

“Decorridos mais de seis anos entre a data dos fatos (2011) e o presente momento, constata-se a prescrição da pretensão punitiva estatal de todos os delitos aqui investigados em relação a LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA. Ainda assim – e bem como com relação aos demais investigados não se faz presente justa causa para a continuidade das investigações, diante dos parcos indícios coletados”, escreveu Maria Carolina Ayoub.

Até agora, já são 19 ações instauradas contra o ex-presidente relacionados com a operação Lava Jato que foram arquivadas. 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem