CartaExpressa

Gilmar Mendes autoriza Marcelo Crivella a deixar o País

Gilmar Mendes autoriza Marcelo Crivella a deixar o País

O ex-prefeito do Rio de Janeiro Marcelo Crivella (Republicanos). Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

O ex-prefeito do Rio de Janeiro Marcelo Crivella (Republicanos). Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, autorizou o ex-prefeito do Rio de Janeiro Marcelo Crivella (Republicanos) a sair do País, em decisão que revoga uma medida cautelar imposta em 12 de fevereiro deste ano. Naquela ocasião, Mendes também revogava a prisão domiciliar aplicada ao bispo evangélico no âmbito de uma investigação sobre o “QG da Propina”.

Quando o ministro do STF proibiu Crivella de sair do Brasil, também determinou o confisco do passaporte do ex-prefeito. Seis meses depois, o magistrado argumenta que “o risco de o paciente se evadir da aplicação da lei penal é mínimo, considerando que, desde 22 de dezembro de 2020, o paciente vem respondendo devidamente aos atos do processo e cumprindo adequadamente todas as medidas cautelares impostas”.

O ministro também escreveu que os fatos imputados a Crivella concentram-se temporalmente nos anos de 2016 e 2019, “o que faz com que a contemporaneidade dos fatos esteja cada vez mais distante”. A restrição de liberdade, continua ele, deve se basear em fatos novos que justifiquem a sua imposição.

“Não é o caso dos autos, sobretudo por não haver nenhuma notícia recente da existência de qualquer fato que aponte para um possível risco de o paciente se esquivar da aplicação da lei penal – razão fundamental dessa decisão”, diz o despacho.

As outras medidas cautelares seguem em vigência e, portanto, Crivella não pode manter contato com os demais investigados no processo e deve comparecer periodicamente em Juízo para informar e justificar as suas atividades.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem