CartaExpressa,Política

General Ramos diz que Bolsonaro respeita a Constituição e ‘espera’ que os outros Poderes façam o mesmo

General Ramos diz que Bolsonaro respeita a Constituição e ‘espera’ que os outros Poderes façam o mesmo

Luiz Eduardo Ramos, ministro-chefe da Casa Civil. Foto: Marcos Corrêa/PR

Luiz Eduardo Ramos, ministro-chefe da Casa Civil. Foto: Marcos Corrêa/PR

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, general Luiz Eduardo Ramos, defendeu o presidente Jair Bolsonaro nesta quarta-feira 18, em meio aos atritos criados com o Supremo Tribunal Federal. No final de semana, o presidente anunciou em suas redes sociais que levaria ao Senado um pedido de abertura de impeachment contra os ministros Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso, que compõem o STF e o Tribunal Superior Eleitoral.

Ramos afirmou que Bolsonaro atua de acordo com a Constituição Federal. “Ele está agindo. O que ele espera é que os outros Poderes também estejam jogando dentro das quatro linhas. É bom que se esclareça isso”, declarou durante audiência na comissão de Fiscalização Financeira e Controle. O general foi chamado para prestar esclarecimentos sobre uma reunião para discutir a situação dos madeireiros investigados pela Operação Handroanthus, da Polícia Federal.

Ainda durante a sessão, o ministro minimizou ameaças de ruptura democrática pelas Forças Armadas e disse que as eleições de 2022 serão realizadas e terão Bolsonaro como vitorioso.

“Em nenhum momento ouvi de qualquer integrante do alto comando qualquer coisa com a quebra do Estado Democrático de Direito. Isso aí é muito imprensa”. Já sobre as eleições, emendou: “Eu tenho tanta certeza de que elas vão ocorrer, e eu estou dizendo, pode ser que eu seja cobrado ano que vem, que o vitorioso será Jair Messias Bolsonaro, diferente de institutos de pesquisas em que eu não acredito.”

 

 

 

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem