CartaExpressa

Ex-presidente da Anvisa critica prazo de 60 dias para aprovação de vacina

William Dib também criticou a falta de planejamento do governo federal

Eduardo Pazuello e Jair Bolsonaro. Reprodução/Redes Sociais
Eduardo Pazuello e Jair Bolsonaro. Reprodução/Redes Sociais

O ex-diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) William Dib classifica como “excessivo” o prazo de 60 dias, apresentado nesta terça-feira 8 pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, para autorização de qualquer vacina contra a Covid-19.

“É excessivo esse prazo, e contraria o decreto presidencial de que a questão Covid é prioritária. Não pode nenhum processo passar na frente. [Estimar] 60 dias é temeroso”, disse Dib à Folha de S.Paulo.

Ele também criticou a atuação do governo de Jair Bolsonaro pela falta de organização na distribuição dos imunizantes. “Não estamos vendo um planejamento coerente. Ainda vamos dar muita cabeçada”, afirmou.

O prazo de 60 dias foi anunciado por Pazuello durante reunião com governadores no Palácio do Planalto.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!