CartaExpressa

Encontro em Brasília teve pedido de ‘perdão’ de Bolsonaro a Fux

O presidente do STF projeta uma reunião ‘entre os três Poderes para fixar balizas sólidas para a democracia’

Foto: Reprodução/CNN Brasil
Foto: Reprodução/CNN Brasil

O presidente do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, detalhou na noite desta segunda-feira 12 o teor de seu encontro com o presidente Jair Bolsonaro, mais cedo, em Brasília. A reunião foi realizada em meio à escalada nas ameaças de Bolsonaro sobre as eleições de 2022.

“Convidei o presidente da República para uma conversa diante dos últimos acontecimentos, em que debatemos o quão importante para a democracia brasileira é o respeito às instituições, os limites impostos pela Constituição Federal”, disse Fux a jornalistas, após a reunião.

“O presidente entendeu, se utilizou até de um momento evangélico, ele gosta de orar diuturnamente, houve o ‘perdão’ e, ao final, combinamos uma reunião entre os três Poderes para fixarmos balizas sólidas para a democracia brasileira, tendo em vista a estabilidade do nosso regime político”, acrescentou.

Depois da conversa com Fux, Bolsonaro também comentou o fato de a Polícia Federal instaurar um inquérito para apurar se ele cometeu o crime de prevaricação ao ser informado sobre possível fraude na negociação pela vacina Covaxin. “Primeiro, eu entendo que a prevaricação se aplica a servidor público, não se aplicaria a mim. Mas qualquer denúncia de corrupção eu tomo providência”, disse o presidente da República.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!