CartaExpressa

Em ato do MBL contra Bolsonaro, Ciro lidera intenção de voto seguido por Lula

Em ato do MBL contra Bolsonaro, Ciro lidera intenção de voto seguido por Lula

Pesquisa da USP mostra que manifestação na avenida Paulista conseguiu atrair parte dos antigos adversários dos organizadores

Ciro Gomes e Lula. Fotos: Evaristo Sá/AFP e Filippo Monteforte/AFP

Ciro Gomes e Lula. Fotos: Evaristo Sá/AFP e Filippo Monteforte/AFP

Os pré-candidatos à Presidência da República Ciro Gomes (PDT) e Lula (PT) lideram as intenções de voto entre os participantes do ato que ocorreu no domingo 12 contra o presidente Jair Bolsonaro na avenida Paulista, em São Paulo.

É o que indica um levantamento da USP,  coordenado pelos professores Pablo Ortellado e Márcio Moretto, divulgado nesta segunda-feira 13 pela BBCBrasil.

De acordo com a pesquisa, feita a partir de 841 entrevistas e que tem margem de erro de 4 pontos percentuais para mais ou para menos, Ciro, que esteve presente na Avenida Paulista, apareceu em primeiro lugar com 16%, seguido por Lula com 14% e pelo ex-juiz e ex-ministro da Justiça de Bolsonaro Sergio Moro, com 11%.

João Amoedo (Novo) e João Doria (PSDB), que também participaram do ato em São Paulo, aparecem com 8% e 7%, respectivamente. Outros 31% afirmaram não saber em quem votar.

O estudo também questionou os manifestantes sobre um possível segundo turno entre Lula e Bolsonaro: 54% responderam que votariam em Lula, enquanto 40% disseram que anulariam ou votariam em branco.
Os atos, que foram convocados por MBL e Vem Pra Rua, conseguiu atrair parte de antigos adversários dos grupos.  Segundo a pesquisa, 37% dos entrevistados se disseram de esquerda ou centro-esquerda e 34%, de direita ou centro-direita.”
Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem