CartaExpressa

Em 3 meses, políticos e partidos já gastaram R$ 9,9 milhões em anúncios no Facebook e no Instagram

Entre os presidenciáveis, Simone Tebet (MDB) e o Podemos, de Sergio Moro, foram os que mais gastaram com impulsionamento nas redes

CEO da Meta e  fundador do Facebook, Mark Zuckerberg
CEO da Meta e fundador do Facebook, Mark Zuckerberg
Apoie Siga-nos no

Um levantamento com base em planilhas da Meta, dona do Facebook e do Instagram, revela que partidos e políticos brasileiros já gastaram cerca de 9,9 milhões de reais em impulsionamento de publicações nas redes. As informações são do jornal O Globo desta terça-feira 22.

De acordo com o levantamento, a senadora Simone Tebet, pré-candidata pelo MDB, e o Podemos, partido do ex-juiz Sergio Moro, foram os atores políticos envolvidos na disputa presidencial que mais gastaram com a rede social neste ano.

A parlamentar pagou 138 mil reais nos últimos 30 dias para promover sua imagem entre o público feminino do Mato Grosso e de São Paulo. Entre os candidatos, ela tem o menor número de seguidores nas redes.

Já o Podemos, de Moro, desembolsou 46 mil reais para promover publicações que exaltam a operação Lava Jato, fotos de ações da Polícia Federal e imagens de Moro e Deltan Dallagnol. Os valores são referentes aos três primeiros meses de 2022.

O PT, segundo o levantamento, desembolsou 34 mil reais para promover outros canais de comunicação ligados à campanha de Lula, como o grupo de WhatsApp batizado de LulaVerso.

Nas disputas regionais, Marcelo Freixo (PSB-RJ) aparece como um dos políticos que aumentaram os gastos com anúncios no Facebook e Instagram. De acordo com a reportagem, em 2022, o deputado já gastou quase 60 mil reais com impulsionamento das publicações. Em fevereiro, Freixo destacou sua aproximação com o ex-presidente Lula no estado. O parlamentar é atualmente o candidato ao governo do campo progressista no estado e está empatado nas pesquisas com o atual governador Cláudio Castro (PL).

Miguel Coelho, prefeito de Petrolina pelo União Brasil, gastou cerca de 67 mil reais nos últimos três meses para divulgar dados sobre sua gestão na cidade. Ele é filho do senador bolsonarista Fernando Bezerra e pretende concorrer ao governo de Pernambuco pelo partido do Centrão.

Em São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), também gastou um montante significativo com as duas redes sociais. Ao todo, o apadrinhado de João Doria na disputa ao governo já transferiu 36 mil reais para anúncios da Meta. As mulheres são o público foco das publicações patrocinadas pelo vice-governador.

Vale ressaltar que os anúncios são permitidos desde que não peçam votos, nem sejam feitos no formato de disparos de mensagens em massa. O valor permitido não está definido, mas, segundo o Tribunal Superior Eleitoral, precisa ficar dentro de um montante moderado.

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.