CartaExpressa

‘Eleição foi limpa. Perdemos porque faltou voto’, diz vice de Aécio

‘Eleição foi limpa. Perdemos porque faltou voto’, diz vice de Aécio

Aloysio Nunes rebateu as suspeitas de fraude levantadas por Bolsonaro

OS TUCANOS AÉCIO NEVES (MG) E ALOYSIO NUNES FERREIRA (SP)

OS TUCANOS AÉCIO NEVES (MG) E ALOYSIO NUNES FERREIRA (SP)

O ex-senador Aloysio Nunes (PSDB), que foi candidato a vice-presidente na chapa de Aécio Neves (PSDB-MG), respondeu às declarações de Jair Bolsonaro de que Aécio teria vencido as eleições de 2014 e só não foi eleito porque ocorreu uma fraude nas urnas eletrônicas.

“A eleição foi limpa, nós perdemos porque faltou voto”, afirmou em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo nesta quinta-feira 8.

O tucano também rebateu que existam provas de fraude nas urnas eletrônicas. “É evidente que ele não tem prova nenhuma, porque não houve fraude”, reafirmou.

De acordo com Nunes Ferreira, o PSDB reconheceu a vitória de Dilma Rousseff, do PT, já no domingo da apuração e nunca questionou o resultado das eleições:

“Havia uma grande polêmica sobre a segurança da urna, geralmente alimentada por segmentos da direita. Mas o que a direção do partido decidiu foi pedir uma auditoria, não uma recontagem de votos. A vitória da Dilma foi reconhecida publicamente pelo Aécio”, explicou.

Aécio Neves integra a comissão que discute o voto impresso na Câmara dos Deputados e defende que haja mecanismos para se auditar a eleição, mas alega não acreditar em fraude.

“Eu não acredito em fraude e tampouco que as urnas de primeira geração devam ser tratadas como cláusulas pétreas e que não possam evoluir. […] Mas é melhor deixarmos para voltar a esse debate depois de 2022”, declarou o deputado recentemente.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem