CartaExpressa

Economia ‘voltou em V’ e o Brasil está ‘condenado a crescer’, repete Guedes

‘O Brasil praticamente parou e agora a conta é do governo Bolsonaro’, disse o ministro, alinhado ao ex-capitão

O ministro da Economia, Paulo Guedes. Foto: Evaristo Sá/AFP
O ministro da Economia, Paulo Guedes. Foto: Evaristo Sá/AFP

O ministro da Economia, Paulo Guedes, repetiu nesta terça-feira 30 que a economia brasileira “voltou em V”, que os investimentos estão retornando e que o País “está condenado a crescer”.

Durante participação no 93º Encontro Nacional da Indústria da Construção, o ministro sugeriu que o Brasil “não cresce há 30 anos” e que, apesar disso, os problemas teriam caído “na conta do governo Bolsonaro”.

“O Brasil praticamente parou e agora a conta é do governo Bolsonaro. Ainda pegamos uma Covid”, prosseguiu Guedes. Ele elogiou a atuação da construção civil durante a pandemia e destacou uma suposta recuperação do setor de serviços.

“O setor serviço está voltando, voltando turismo, o Brasil está condenado a crescer”, completou.

Enquanto isso, segue a elevação na estimativa para a inflação do País em 2021. Na semana passada, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada projetou que o IPCA deve fechar este ano com alta acumulada de 9,8% (em setembro, previa 8,3%). O teto oficial da meta, já destruído, era de 3,75%, com tolerância de 1,5 ponto percentual.

No Boletim Focus, do Banco Central, da última segunda-feira 29, a mediana das projeções dos economistas para o IPCA em 2021 subiu de 10,12% para 10,15%.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!