CartaExpressa

Do que trata a investigação da PF contra Tarcísio de Freitas

Apuração analisa se campanha do governador teria disseminado versão falsa sobre atentado visando ganho eleitoral

O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas. Foto: Fabio Rodrigues-Pozzebom/Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos) é investigado pela Polícia Federal por suposto crime eleitoral durante um evento de campanha em 2022, em Paraisópolis, na capital paulista. A informação é do jornal O Estado de S. Paulo desta segunda-feira 23.

Na ocasião, a agenda foi interrompida por um tiroteio próximo ao local onde estava o candidato. Bolsonaristas, na época, sustentaram nas redes a versão de que o tiroteio seria um atentado político. O fato, no entanto, não tinha ligação com a presença de Tarcísio no local.

Na investigação, a Polícia Federal apura se teria partido da campanha do atual governador a versão controversa de que Tarcísio teria sofrido um atentado, visando impulsionar a popularidade do ex-ministro de Bolsonaro.

Segundo o jornal, a denúncia que motivou a abertura de investigação partiu de matérias publicadas com declarações do ex-cinegrafista da emissora Jovem Pan, Marcos Vinícius Andrade. Nessas matérias, ele diz ter sido pressionado por assessores do então candidato a deletar filmagens que supostamente mostravam seguranças da equipe de campanha atirando contra o homem que morreu naquele tiroteio, “possivelmente para simular um atentado fraudulento”.

Uma investigação já encerrada da Polícia Civil concluiu que o disparo que causou a morte de um homem partiu da arma de um policial militar. 

Em nota, a assessoria de Tarcísio disse que o caso já foi investigado e que “não houve ingerência política eleitoral no episódio” e, portanto, “não há o que ser averiguado pela Polícia Federal”. A PF, por sua vez, não comentou a apuração em andamento citada pelo jornal.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.