CartaExpressa

‘Despreparo, deslumbramento e ignorância’, diz general Santos Cruz sobre nova crise com a China

Polêmica ressurgiu com comentários ofensivos do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP)

O General Santos Cruz. Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

O general Carlos Alberto dos Santos Cruz, ex-ministro da Secretaria de Governo de Jair Bolsonaro, usou as redes sociais neste sábado 28 para criticar mais uma crise diplomática entre Brasil e China provocada pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente da República.

“5G – Despreparo, deslumbramento infantil, ignorância e extremismo colocam em risco os interesses do Brasil, a economia, a segurança e a estabilidade. Tem que ver o que é melhor tecnicamente para o Brasil e sua população e não entrar em disputas alheias.”, disse Santos Cruz.

Na segunda-feira 23, Eduardo declarou apoio a uma “aliança global para um 5G seguro, sem espionagem da China”. Em resposta, a embaixada da China no Brasil que as declarações do parlamentar são “infundadas” e “solapam” a relação entre os países. A representação chinesa ainda alertou para possíveis “consequências negativas”.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.