Embaixada da China repudia declaração de Eduardo Bolsonaro sobre 5G: ‘Totalmente inaceitável’

Afirmações do filho do presidente 'solapam' relações entre os países, diz representação chinesa

Deputado federal Eduardo Bolsonaro. Foto: Agência Câmara

Deputado federal Eduardo Bolsonaro. Foto: Agência Câmara

Mundo

A embaixada da China no Brasil afirmou, em nota divulgada nesta terça-feira 24, que as mensagens publicadas pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro nas redes sociais sobre a tecnologia 5G são “infundadas” e “solapam” a relação entre os países.

 

 

Na segunda-feira 23, o filho do presidente Jair Bolsonaro foi às redes sociais para declarar apoio a uma “aliança global para um 5G seguro, sem espionagem da China”. Nesta terça-feira 23, porém, Eduardo, que é presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara, apagou a postagem.

Em nota, a embaixada da China no Brasil argumentou que as afirmações de Eduardo Bolsonaro seguem “os ditames dos Estados Unidos de abusar do conceito de segurança nacional para caluniar” a China.

“Isso é totalmente inaceitável para o lado chinês e manifestamos forte insatisfação e veemente repúdio a esse comportamento. A parte chinesa já fez gestão formal ao lado brasileiro pelos canais diplomáticos”, diz a nota.

A embaixada ainda afirma que “insta” pessoas que fazem tais declarações “a deixar de seguir a retórica da extrema direita norte-americana, cessar as desinformações e calúnias sobre a China e a amizade sino-brasileira e evitar ir longe demais no caminho equivocado, tendo em vista os interesses de ambos os povos e a tendência geral da parceria bilateral. Caso contrário, vão arcar com as consequências negativas e carregar a responsabilidade histórica de perturbar a normalidade da parceria China-Brasil”.

Leia a nota na íntegra:

 

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem