CartaExpressa

Deputado bolsonarista que quebrou placa de Marielle é xingado e expulso de evento

Deputado bolsonarista que quebrou placa de Marielle é xingado e expulso de evento

Amorim tentou afrontar os manifestantes, mas foi obrigado a deixar o local sob gritos de 'miliciano' e 'assassino'

Rodrigo Amorim, deputado que quebrou a placa de Marielle Franco em 2018, foi expulso de bairro por manifestantes | Reprodução

Rodrigo Amorim, deputado que quebrou a placa de Marielle Franco em 2018, foi expulso de bairro por manifestantes | Reprodução

O deputado bolsonarista Rodrigo Amorim, que quebrou a placa de rua com o nome da vereadora Marielle Franco durante manifestação a favor Jair Bolsonaro em 2018, foi vaiado e expulso do bairro de Santa Teresa, no Rio de Janeiro, no sábado 16. 

A confusão aconteceu em um evento de lançamento do programa Bairro Seguro, em que estavam presentes outros deputados que apoiam o presidente. 

Amorim tentou afrontar os manifestantes, mas foi obrigado a deixar o local acompanhado pela polícia e sob gritos de “miliciano” e “assassino”. 

O parlamentar usou o Twitter para se manifestar sobre o ocorrido. Ele disse que encontrou uma “matilha de maconheiros” e “zumbis”, mas que, no entanto, não foi expulso, contrariando vídeos compartilhados nas redes.  

“Está pra nascer o homem que vai me expulsar de qualquer lugar nessa cidade. Não tem sujeito homem pra isso”, afirmou ele. 

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem