CartaExpressa,Sociedade

Delegada negra é impedida de entrar em loja de roupas por ‘questões de segurança’

Delegada negra é impedida de entrar em loja de roupas por ‘questões de segurança’

O caso ocorreu em uma unidade da Zara, no shopping Iguatemi, de Fortaleza; a Polícia Civil apura se houve racismo

Créditos: Delegada Ana Paula Barroso denuncia loja por racismo após ter sido barrada. Foto: PCCE/Divulgação

Créditos: Delegada Ana Paula Barroso denuncia loja por racismo após ter sido barrada. Foto: PCCE/Divulgação

Uma delegada negra afirma ter sido barrada na entrada de uma loja da Zara, no Shopping Iguatemi, em Fortaleza (CE). A vítima, Ana Paula Barroso, que denuncia racismo por parte do estabelecimento, tentou acessar a loja no último dia 14 e foi avisada por um funcionário que ela não poderia entrar por ‘questões de segurança’.

A mulher é diretora-adjunta do Departamento de Proteção aos Grupos Vulneráveis, da Polícia Civil do Ceará. Um inquérito policial foi aberto junto a Delegacia da Mulher de Fortaleza para apurar o caso.

Após a denúncia, foi solicitada à loja que entregasse as imagens das câmeras de segurança do local, o que foi negado segundo a Secretaria de Segurança do Ceará. Diante a negativa, houve a representação de um pedido de busca e apreensão junto ao Judiciário que deferiu o pedido.

Com isso, a Polícia Civil apreendeu no domingo 19 os equipamentos de vídeo da loja para que sejam utilizados no andamento das investigações. Circula nas redes sociais um vídeo do momento em que a Polícia Civil chega ao estabelecimento para cumprir o mandado.

 

A injúria racial e racismo são crimes previstos no artigo 140 do Código Penal, parágrafo 3º, e estabelece como pena a reclusão de um a três anos e multa, além de sanção correspondente à violência cometida.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem