CartaExpressa

Datena chama Moro de ‘traidor’ e ex-juiz rebate: ‘Você não sabe se apoia Lula ou Bolsonaro’

Apresentador, que também trocou de partido, criticou a saída do ex-juiz do Podemos para o União Brasil e disse ‘fazer questão’ de enfrentá-lo nas urnas por uma vaga no Senado

Apoie Siga-nos no

O apresentador José Luiz Datena (PSC-SP), pré-candidato ao Senado em São Paulo, ironizou nesta semana uma publicação em que o ex-juiz Sergio Moro (UB-SP) se colocava como um herói. Ao criticar a postagem, o apresentador chamou o ex-ministro de ‘traidor’ e disse que sua postura é uma ‘sequência de contrassensos’. Os ataques geraram revolta no ex-juiz, que, na terça-feira 19, respondeu.

Sobre o post, Datena disse durante seu programa Brasil Urgente, na Band, que Moro, na verdade, não seria um herói, mas sim um vilão por ter julgado Lula de ‘forma viciada’. As críticas foram reforçadas pelo comunicador ao jornal Folha de S. Paulo.

“Moro para mim não é o Batman. Ele é o Coringa. Ele desarmou a Lava Jato quando fez um julgamento viciado de Lula. As palavras não são minhas, são do Supremo Tribunal Federal.”

Ainda na TV, o apresentador continuou com as críticas ao ex-juiz e disse ‘fazer questão’ de enfrentá-lo nas urnas por uma vaga no Senado, disputa que ele lidera com 32% das intenções de voto, segundo o instituto Paraná Pesquisas.

O ex-juiz ainda não anunciou se pretende disputar um cargo nestas eleições após ter sua pré-candidatura ao Planalto barrada pelo União Brasil. A expectativa do partido é de que ele dispute uma cadeira na Câmara dos Deputados.

As escolhas partidárias de Moro também foram alvo de Datena durante os comentários no programa. Segundo o apresentador, a escolha do ex-juiz pelo União Brasil teria sido uma questão financeira, algo que não pesou para ele que deixou o UB rumo ao pequeno PSC para disputar o Senado.

“Foi para um partido que tem 1 bilhão de reais de fundo eleitoral porque ele pensou que seria candidato à Presidência. Deram um golpe nele dentro do partido e falaram ‘Moro, se você quiser, no máximo, é o Senado. Vai lá para o Senado, disputar por São Paulo’, e é perigoso você perder para candidato que tem mais voto do que você”, destacou Datena.

O apresentador também tratou sobre a trajetória política do ex-juiz ao defini-lo como traidor: “Depois desse julgamento viciado, ele aceitou um cargo do Bolsonaro para ser ministro da Justiça, o mesmo Bolsonaro que foi beneficiado pela condenação do Lula. Pouco depois, saiu do governo traindo [o presidente] e aceitou um cargo em uma empresa americana para defender os bandidos que tinha colocado na cadeia. Moro é uma sequência de contrassensos”, classificou o apresentador.

A ‘análise’ de Datena gerou então nova postagem de Moro, que foi às redes sociais responder o opositor. Segundo o ex-juiz, o comunicador é quem seria um ‘contrassenso’ por não decidir se apoia Jair Bolsonaro ou o ex-presidente Lula nestas eleições.

“Datena, minha história é totalmente diferente da sua. Combati a corrupção e o crime organizado como ninguém fez nesse país. Tive coragem e posição firme, ao contrário de você que vive em uma bolha de vidro e não sabe se apoia Lula ou Bolsonaro. Aí as pessoas vaiam e com razão”, escreveu Moro, relembrando as vaias que Datena recebeu de bolsonaristas em um evento de pré-campanha.

O apresentador trocou o União Brasil pelo PSC para concorrer ao Senado na chapa com o ex-ministro bolsonarista Tarcísio de Freitas (PP-SP). Dias antes, negou ter apoiado Bolsonaro em algum momento, alegando sempre ter aberto espaço para entrevistas, mas nunca ter votado no ex-capitão. Segundo disse, seu último voto válido teria sido em Lula. Naquela mesma semana, Datena chegou a ser convidado por Ciro Gomes (PDT) para ser candidato a vice. Ele, no entanto, não aceitou o convite.

 

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.