CartaExpressa

CPI aprova quebra de sigilo fiscal e telefônico de Carlos Wizard

CPI aprova quebra de sigilo fiscal e telefônico de Carlos Wizard

Empresário é apontado como um dos supostos integrantes do gabinete paralelo que aconselhava o presidente Jair Bolsonaro

Jair Bolsonaro e Carlos Wizard. Foto: Reprodução/Redes Sociais

Jair Bolsonaro e Carlos Wizard. Foto: Reprodução/Redes Sociais

A CPI da Covid aprovou nesta quarta-feira 16 a quebra dos sigilos telefônico, telemático, fiscal e bancário dos empresários Carlos Wizard, Francisco Emerson Maximiano, Renato Spallici, Renata Spallici e José Alves Filho.

Na terça-feira 15, a Comissão já havia negado que Wizard prestasse depoimento por meio de videochamada.

Wizard é apontado como um dos supostos integrantes do “gabinete paralelo” que aconselhava o presidente Jair Bolsonaro a defender drogas sem eficácia contra Covid durante a pandemia.

Já Renato e Renata Spallici são presidente e diretora da empresa Apsen. Francisco Maximiano é sócio da Precisa Medicamentos, representante brasileira do laboratório indiano Bharat Biotech – que desenvolveu a vacina Covaxin, encomendada pelo governo Jair Bolsonaro em março e aprovada com restrições pela Anvisa no início do mês.

 

 

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem