CartaExpressa

Com Bolsonaro, economia piorou para 69% dos brasileiros, diz Datafolha

O levantamento ainda mediu a percepção dos brasileiros sobre os próximos meses: para 39%, a situação vai piorar

O presidente da República, Jair Bolsonaro. Foto: Marcos Corrêa/PR
Apoie Siga-nos no

Nova pesquisa Datafolha divulgada nesta segunda-feira 20 mostra que 69% dos entrevistados acreditam que a situação econômica do Brasil piorou nos últimos meses sob a gestão de Jair Bolsonaro. Em 2019, quando a pergunta foi feita pela última vez pelo instituto, só 35% viam piora com o atual presidente.

O dado apontado pela pesquisa é o 3º maior registrado pelo Datafolha. Em 2015, 82% acreditavam ter tido uma piora na economia brasileira e em meados de 2018, quando o índice chegou a 72%.

O recorde na descrença com a política econômica do atual governo ocorre em meio a alta na inflação que compromete os preços de alimentos, crise hídrica, desemprego recorde e o alto custo dos combustíveis e gás para os brasileiros.

 

Segundo a pesquisa, as mulheres foram as que mais sentiram a piora. Nesta faixa, 74% indicaram que a economia regrediu. Entre os homens, a piora foi apontada por 62%.

Chama a atenção a indicação dada por católicos e evangélicos, base de apoio do presidente em 2018. Ao todo 71% dos católicos disseram ter visto piora na economia. Entre evangélicos o número é de 62%.

A pesquisa ainda mediu a avaliação conforme a renda do entrevistado. Segundo o levantamento, a avaliação negativa é maior entre os mais pobres e vai caindo em conformidade com o aumento da renda. Enquanto 70% de quem ganha até dois salários mínimos disse ter visto piora na economia do Brasil, entre os que têm renda acima de dez salários mínimos, o índice é de 62%.

Trabalhadores informais e estudantes também são destaque no levantamento. 77% de quem atua sem registro e 74% de estudantes viram a economia piorar com Bolsonaro no governo nos últimos meses. Entre os empresários o volume da avaliação negativa cai para 54%.

Entre os apoiadores do governo o índice cai para 36% que enxergam piora. 31% dizem que a economia melhorou e outros 32% acreditam que nada mudou.

O Datafolha ainda mediu a percepção dos brasileiros sobre os próximos meses. Para 39%, a economia vai piorar. O volume é próximo ao da última pesquisa, quando chegou a 35% e longe do recorde de 65% registrado na pandemia antes do anúncio do auxílio emergencial. Só 28% acreditam em uma melhora, no levantamento anterior o grupo somava 30%.

O pessimismo com o futuro do Brasil nos próximos meses é de 54% entre a parcela que avaliam negativamente Bolsonaro. Entre bolsonaristas, só 13% acreditam que a economia vai piorar.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar