CartaExpressa

Clã Bolsonaro lamenta morte de Olavo de Carvalho

Presidente e filhos usaram as redes sociais para prestar homenagens ao guru da extrema-direita, que morreu aos 74 anos nesta terça-feira

(Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)
Apoie Siga-nos no

Poucas horas após o anúncio oficial da morte do guru da extrema-direita Olavo de Carvalho, o clã Bolsonaro veio a público lamentar o falecimento do ‘professor’. Usando as redes sociais, Jair Bolsonaro e seus filhos teceram elogios ao escritor a quem chamaram de ‘um dos maiores pensadores da história’.

“Nos deixa hoje um dos maiores pensadores da história do nosso país, o Filósofo e Professor Olavo Luiz Pimentel de Carvalho. Olavo foi um gigante na luta pela liberdade e um farol para milhões de brasileiros. Seu exemplo e seus ensinamentos nos marcarão para sempre”, escreveu Jair Bolsonaro em suas redes sociais.

O vereador Carlos Bolsonaro seguiu linha semelhante ao exaltar o papel do extremista na ascensão da direita brasileira:

“Ao Professor Olavo a minha eterna gratidão por sua vida dedicada ao conhecimento, que semeou em uma terra arrasada chamada Brasil e fez florescer em muitos de nós um sentimento de esperança, de amor pela verdade e pela liberdade”, diz parte do lamento de Carlos nas redes sociais.

O deputado federal Eduardo Bolsonaro, por sua vez, fez um comunicado mais sucinto, destacando apenas a ‘bondade’ do professor. Segundo disse, vídeos e publicações de Olavo seguirão como referência ‘por muito tempo’ para o clã e seus aliados.

Já o senador Flávio Bolsonaro foi o único que ainda não se pronunciou sobre a morte do escritor. Outras personalidades da extrema-direita brasileira, como Carla Zamebelli, Bia Kicis e Carlos Jordy, que tinham Olavo como guru, também deixaram mensagens nas redes sociais. Todos destacaram o ‘legado ao conservadorismo’ deixado pelo escritor.

Olavo morreu nesta terça-feira 25 aos 74 anos nos Estados Unidos. A causa da morte não foi divulgada, mas o guru bolsonarista foi diagnosticado com Covid-19 no dia 16 de janeiro. Ele era investigado no Brasil, suspeito de incentivar ‘desobediência civil’. Após um período internado em São Paulo, o escritor deixou o País ‘à francesa’ ao saber que seria intimado pela Polícia Federal.

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.