CartaExpressa,Política

Ciro: ‘Com o lulopetismo corrompido e neoliberal tosco, minha relação está encerrada’

Ciro: ‘Com o lulopetismo corrompido e neoliberal tosco, minha relação está encerrada’

'Quem produziu Bolsonaro foi a irresponsabilidade criminosa e corrupta do senhor Lula', reforçou o pedetista

Ciro Gomes e Lula. Fotos: Evaristo Sá/AFP e Filippo Monteforte/AFP

Ciro Gomes e Lula. Fotos: Evaristo Sá/AFP e Filippo Monteforte/AFP

O presidenciável Ciro Gomes (PDT) interrompeu a trégua em nome do impeachment de Jair Bolsonaro e voltou a criticar Lula, seu provável adversário nas eleições de 2022.

Em entrevista ao podcast Estadão Notícias, do jornal homônimo, o pedetista reforçou que cortou relações com os antigos aliados e os atacou.

“Com o lulopetismo corrompido e neoliberal tosco, a minha relação é definitivamente encerrada”, afirmou Ciro. “Será que do Bolsonaro aconteceu por acaso? Não foi não. Quem produziu Bolsonaro foi a irresponsabilidade criminosa e corrupta do senhor Lula”, acrescentou.

O ex-governador do Ceará afirmou ainda que, nas eleições de 2018, se fosse para o segundo turno, ele venceria o ex-capitão. “Eu jamais acreditei que o Bolsonaro teria alguma chance e mordi a língua. Eu ganharia as eleições do Bolsonaro. A força dominante nas eleições era uma repulsa contra o Lula e o PT, que destruíram a economia e levaram a corrupção no centro de governança do modelo deles”, pontuou.

Para o pedetista, o atual presidente dificilmente será uma opção para o eleitoral no ano que vem. “Bolsonaro não estará nas eleições por não reunir a menor condição objetiva de se apresentar para o povo. É um governo trágico que não tem nada para mostrar”.

“Bolsonaro quer interromper o processo democrático para que dê continuidade no poder. Sabe que no processo eleitoral ele não tem chance nenhuma”, completou.

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem