CartaExpressa,Política

Ciro chama Haddad de ‘subserviente’ e o responsabiliza pela vitória de Bolsonaro

Ciro chama Haddad de ‘subserviente’ e o responsabiliza pela vitória de Bolsonaro

Ciro Gomes e Fernando Haddad. Fotos: Mauro Pimentel/AFP e Nelson Almeida/AFP

Ciro Gomes e Fernando Haddad. Fotos: Mauro Pimentel/AFP e Nelson Almeida/AFP

O provável candidato do PDT à Presidência em 2022, Ciro Gomes, usou as redes sociais nesta terça-feira 24 para retomar a ofensiva contra o ex-prefeito de São Paulo e postulante do PT ao Planalto em 2018, Fernando Haddad.

 

 

“Aos puxa-sacos eu entendo, só não os respeito. Tudo que Haddad tem na vida política deve a Lula. Já eu, a ele não devo nada. Por isso sou livre para criticá-lo. Haddad, não! Tem que ser seu bajulador eterno, sempre da turma do amém”, escreveu Ciro.

O pedetista rebate, assim, críticas feitas por Haddad em entrevista à TV Globo na madrugada desta terça. Sobre Ciro, o petista afirmou que “não consegue respeitar” políticos que “cospem no prato que comeram, que não têm coerência na sua trajetória, que mudam de lado, que dizem uma coisa num dia e outra noutro dia, eu não consigo respeitar. Isso não significa não poder mudar de opinião, desde que você explique”.

Em resposta, Ciro ainda declarou que Haddad “aceitou ser poste”, algo que ele “jamais aceitaria”. Também escreveu que “sua subserviência, incompetência e falta de amor ao país deram a Presidência do Brasil ao Bolsonaro”.

Por fim, Ciro Gomes escreveu que os petistas “não têm projeto, apenas paixão doentia pelo poder” e que Haddad e Lula “seguem abraçando bandidos conhecidos e atacando quem os enfrenta de cabeça erguida”.

 

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem