CartaExpressa

Carro de juiz que mandou prender Milton Ribeiro é atacado em Brasília

Renato Borelli, da 15ª Vara Federal de Brasília, não se feriu

Foto: Divulgação
Apoie Siga-nos no

O juiz Renato Borelli, da 15ª Vara Federal de Brasília, teve o carro atingido nesta quinta-feira 7 por fezes de animais, terra e ovos.

Ele é o magistrado responsável por mandar prender o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro em 22 de junho – um dia depois, a prisão foi revogada por Ney Bello, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região.

Borelli não se feriu. Agora, o TRF-1 deve apurar as circunstâncias do episódio.

Em nota enviada à TV Globo, o Conselho Nacional de Justiça disse ter recomendado ao TRF-1 medidas de segurança que a Corte pode adotar para proteger Borelli. “Não é possível detalhar, neste momento, as ações de segurança a serem adotadas para preservar a segurança do magistrado.”

Na terça 5, a defesa de Ribeiro pediu à ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal, a anulação do inquérito sobre a atuação de pastores lobistas no MEC.

Na peça, os advogados cobram que a relatora da investigação reconheça como ilícita uma gravação em que Ribeiro diz atender um pedido do presidente Jair Bolsonaro ao conceder tratamento diferenciado a prefeituras de aliados de dois pastores evangélicos.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar