CartaExpressa

Bolsonaro planejou 1,4 milhão de mortes por Covid, diz artigo no NY Times

‘O presidente parecia fazer de tudo para facilitar a disseminação do vírus’, afirma jornalista

O presidente Jair Bolsonaro durante passagem por Senador La Rocque, no Maranhão, no dia 21 de maio de 2021. Foto: Isac Nóbrega/PR
O presidente Jair Bolsonaro durante passagem por Senador La Rocque, no Maranhão, no dia 21 de maio de 2021. Foto: Isac Nóbrega/PR
Apoie Siga-nos no

Em artigo publicado pelo jornal norte-americano The New York Times, a jornalista Vanessa Barbara afirma que o presidente Jair Bolsonaro “planejava que houvesse ao menos 1,4 milhão de mortes no Brasil” pela Covid-19, a fim de atingir a chamada “imunidade de rebanho”.

Segundo o artigo, “o presidente parecia fazer de tudo para facilitar a disseminação do vírus. Ele passou o último ano falando e agindo contra todas as medidas cientificamente comprovadas para conter a propagação do vírus”.

“Bolsonaro aparentemente pretendia levar o País à imunidade coletiva por infecção natural, quaisquer que fossem as consequências. Isso significa – assumindo uma taxa de mortalidade de cerca de 1% e considerando 70% de infecção como um limite provisório para imunidade de rebanho – que ele planejou pelo menos 1,4 milhão de mortes no Brasil”, afirma a jornalista.

O texto publicado pelo principal jornal dos Estados Unidos também critica a insistência de Bolsonaro em defender medicamentos ineficazes contra o novo coronavírus. Barbara ressalta que, na CPI da Covid, “dois depoentes confirmaram, com pesar, que tinham visto um rascunho de um decreto presidencial que estipulava que a bula do medicamento [hidroxicloroquina] deveria ser alterada para incluir seu uso contra a Covid-19″.

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.